Vinhos Chilenos – conheça as regiões, uvas e produção

Vinhos Chilenos – conheça as regiões, uvas e produção

Os vinhos chilenos conquistaram grande reconhecimento internacional por sua qualidade, que melhorou consideravelmente nos últimos anos. Os resultados não são em vão: o país produz uma grande variedade de vinhos e é um dos mais importantes produtores dessa categoria na América Latina.

Um fator relevante na qualidade dos vinhos chilenos é a colonização pelos europeus no século XVI. Segundo especialistas, os missionários são responsáveis ​​por trazer sementes de uva para o país.

Qualidade desenvolvida ao longo do tempo com o início da atividade vitivinícola chilena. Por volta do século XIX, a grande população do país assumiu as minas de ouro da região e decidiu comprar vinhas. Algumas sementes de uva francesas chegaram ao Chile por volta de 1851, antes que a praga da filoxera devastasse partes dos vinhedos da Europa.

Outro grande avanço no vinho chileno veio na década de 1980, quando os vinicultores investiram mais em suas vinícolas. Um dos exemplos famosos é Miguel Torres (produtor espanhol) que fez uma enorme diferença na região.

Os vinhos chilenos variam de acordo com a localização geográfica. Algumas regiões apresentam forte força vitivinícola, enquanto outras apresentam diferenças na produção de vinho.

Os principais vales do Chile hoje são: Casablanca (vinho branco de alta qualidade), Aconcagua (norte de Santiago), Colchagua, Morai, La Perle, Maipo, Curico (sul de Santiago, vale central do Chile) e Limari (o extremo norte do Chile e uma região em ascensão).

O Vale do Aconcágua está localizado próximo à cidade de Santiago, a 100 km do hotel. Trata-se de uma área com cerca de sete mil metros de altitude, que faz parte da Cordilheira dos Andes.

Os vinhos produzidos nesta região apresentam características únicas devido a um clima estável, temperaturas quase sempre elevadas e baixa probabilidade de geadas. São mais de 1.000 hectares de vinha plantada, com solos arenosos, calcários e graníticos, propícios ao cultivo da uva. As variedades de destaque na região incluem: Cabernet Sauvignon, Syrah e Sauvignon Blanc.

Maipo

O Vale do Maipo é uma das regiões mais importantes para a viticultura no Chile. Localizado na região sul de San Diego, o vale produz alguns dos melhores vinhos do país, principalmente Cabernet Sauvignon.

Em suma, as principais uvas plantadas no Vale Maipo são: Cabernet Sauvignon, Carménère, Merlot, Chardonnay, Syrah e Sauvignon Blanc. Beneficiado pelo terroir Andino, o Maipo é dividido em três grandes áreas: Alto Maipo, Maipo Central e Maipo Bajo.

O Alto Maipo é uma região com altitudes elevadas  – cerca de 1.300 a 2.500 pés acima do nível do mar. As temperaturas são marcadas por dias quentes e noites mais frias, enquanto o solo apresenta rochas e drenagem livre. Devido às condições do solo, a uva precisa de maior esforço para pegar água, o que confere menor concentração de açúcares e ácidos.

Em Maipo Central, as temperaturas são mais elevadas que em Alto Maipo e o solo mais baixo.  A Cabernet Sauvignon continua sendo a uva mais cultivada, embora a Carménère marque presença também.

Já em Maipo Bajo, a indústria vinícola é mais focada na produção de vinhos (vinificação) que no cultivo de vinhas (viticultura).

Vale Rapel

O Vale Rapel é uma grande região chilena produtora de vinhos. De todo o vinho produzido no País, cerca de um quarto vem desta região que abrange os vales Colchagua e Cachapoal.

Esta região tem altas temperaturas e tempo seco, conseguindo produzir diferentes estilos de vinhos. As principais uvas desta região são: Cabernet Sauvignon, Carménère e Syrah.

Embora boa parte dos vinhos nesta área seja tinto, existem bons rótulos com Chardonnay e Sauvignon Blanc. O cultivo da Malbec também tem se ampliado. Estão nesta região os Vales de Colchagua e Cachapoal. Veja mais sobre eles nos tópicos abaixo.

Vales de Colchagua

Os vales de Colchagua são agraciados por um bom clima para produção de vinhos: quente, com o frescor da brisa oceânica; ao mesmo tempo é seco, mas com chuvas esporádicas.

As condições naturais desta região – seu terroir -, alinhado com um bom marketing, estão fazendo os Vales de Colchagua serem um dos mais promissores do País.

Apesar de ser uma região nova, se comparada com o Vale do Maipo, por exemplo, seu potencial para produzir vinhos tornou a região única. Dentre as principais uvas cultivadas estão: Cabernet Sauvignon, Carménère e Syrah.

Cachapoal

O Vale de Cachapoal está localizado na metade norte do Vale Rapel, entre os vinhedos de Maipo e Colchagua. Esta região está com vinícolas em crescimento, principalmente na produção de vinhos com a uva Cabernet Sauvignon e Carménère.

O nome deste vale é o mesmo do rio que corta sua extensão. A região usufrui de um clima mediterrâneo temperado: chuvas são comuns no inverno, com verões secos e quentes.

O solo de Cachapoal é fértil, o que incentiva o cultivo de uvas na região, como a Carménère. Lá, esta casta dá origem a ótimos vinhos, principalmente em Peumo.

Curicó

Curicó é uma região produtora de vinhos localizada a 185 quilômetros ao sul de Santiago. Ela é dividida em duas sub-regiões: Teno, no norte; e Lontue, ao sul. O vale é conhecido pelos seus vinhos de qualidade, em especial os tintos produzidos com a Cabernet Sauvignon, e os brancos com a Sauvignon Blanc.

Um dos fatores que fizeram o vinho de Curicó serem especiais foi a presença de um dos nomes mais importantes do cenário vinícola espanhol: Miguel Torres. Ele introduziu na região algumas técnicas e tecnologias europeias.

O clima de Curicó é variado, sendo que a parte oriental, próxima a Cordilheira dos Andes, é mais fria. Já a parte ocidental, recebe a influência do Oceano Pacífico. Os solos são derivados de pedras calcárias e vulcânicas, que torna o cultivo de uvas mais fértiltil.

Vale do Maule

O Vale do Maule é a maior região produtora de vinhos no Chile. A área tem 75 mil hectares de vinhas plantadas e, pela sua tradição, está associada com a grande quantidade de vinhos produzidos, e não devido à sua qualidade. Porém, essa realidade está se transformando aos poucos.

Algumas variedades têm ganhando destaque nesta região. São elas: Cabernet Sauvignon e Carménère, que somadas às práticas de vinificação, estão melhorando a qualidade de vinhos tintos da região.

O Maule foi um dos primeiros vales a serem plantados no Chile, tendo grande influencia da colonização espanhola. Nos últimos 20 anos, a região tem se preocupado mais com a qualidade dos vinhos produzidos.

A área onde as vinhas são plantadas é uma das mais frias do Chile, com chuvas que duram longos períodos. Costuma ter alta intensidade de luz solar, com dias mais quentes e noites frias. Essa diferença de temperatura faz com que as uvas tenham boa acidez e amadureçam melhor.

Casablanca

Casablanca está localizado a 100 km na direção noroeste da capital Santiago. A região é conhecida pelo seu clima mais frio, influenciada pelo Oceano Pacífico e pelas correntes climáticas de Humboldt.

Os vinhedos da região estão mais perto do Equador, o que confere uma névoa fresca, excelente para o cultivo de uvas. As variedades mais notáveis são Chardonnay, Sauvignon Blanc e Pinot Noir.

Podemos dizer que Casablanca tem excelência, principalmente para produção de vinhos brancos, e não apenas pela produção de uvas. O clima é favorável tanto para o cultivo de uvas quanto para a produção de vinhos.

Limari

Limari é uma das regiões mais ao norte do Chile, localizada a 320 km da capital Santiago. A área fica próxima ao Equador e do deserto do Atacama, além de ter solo vulcânico e clima quente e seco. Normalmente, a nutrição das videiras é feita por gotejamento.

Uma das castas mais bem sucedidas nesta região é a Chardonnay, embora Merlot, Syrah, Cabernet Sauvignon e Carménère também apresentam um bom desempenho. Os vinhos produzidos nesta região ganham certa mineralidade devido ao clima. Também são limpos, com frescor e equilíbrio.

San Antonio Valley

O Vale San Antonio é uma pequena região vinícola do Chile, localizada a oeste de Santiago. Embora seja considerada uma pequena área, em comparação com Maule ou Limari, por exemplo, os vinhos de San Antonio podem apresentar boa qualidade.

Nesta região, o terroir oceânico influencia a produção de vinhos. São registradas manhãs frescas e geadas durante a primavera. Os solos de San Antonio são propícios para o cultivo de uvas: com granito e uma parte de argila.

Podemos dizer que um dos grandes diferenciais de San Antonio são seus vinhos feitos com a Pinot Noir, marcados pela qualidade. Já nos vinhos brancos, o destaque fica para a Sauvignon Blanc e Chardonnay.